INSS: Escassez de servidores pode causar colapso na autarquia

Segunda, 8 de Janeiro de 2018

INSS: Escassez de servidores pode causar colapso na autarquia

De acordo com nota técnica encaminhada ao Ministério do Planejamento, em 08 de novembro de 2017, o INSS poderá sofrer um colapso no atendimento das agências do órgão devido à falta de servidores.

O documento demonstra que das mais de 1.600 agências, 321 tem de 50% a 100% do quadro de pessoal com pedido de aposentadoria. Ou seja, muito em breve, quando as aposentadorias forem concedidas, mais da metade dos servidores destas agências deixarão a ativa e o atendimento das agências, que já é precário, serão interrompidos.

O último concurso do INSS ocorreu em 2015 e terá validade até agosto de 2018.

De acordo com o levantamento feito pelo INSS, o órgão tem uma carência de grande de novos servidores. O órgão solicitou ao Ministério do Planejamento 16.548 vagas, das quais, no mínimo, 7.540 vagas são para o concurso do INSS 2018. Dessas, 3.941 são para o cargo de Técnico do Seguro Social.

Ainda foram solicitadas 1.493 vagas para analista de várias formações e 2.146 para perito médico.

As demais 8.968 vagas são para preenchimento utilizando o concurso INSS 2015, válido até agosto. O INSS solicitou 2.114 vagas para esgotar o cadastro de aprovados para o cargo de técnico e 530 para esgotar o cargo de analista. Como a necessidade de pessoal na autarquia é grande, o instituto questiona ao Planejamento a possibilidade de realização uma homologação suplementar de candidatos aprovados no concurso de 2015.

O aval nesse caso significaria a homologação de candidatos aprovados fora do limite fixado em edital. Se o Planejamento der sinal verde, seriam 6.160 vagas de técnico e 164 de analistas. No caso de chamada de aprovados além do adicional de 50% das vagas (475, já que a seleção foi para 950 vagas), serão necessárias a autorização do Planejamento e despacho do Presidente da República.

De acordo com o novo presidente do instituto, Francisco Lopes, o INSS é prioridade para o governo Temer e isso poderá facilitar a autorização do novo concurso.

Vamos seguir acompanhando as notícias e, enquanto isso, não perca tempo, inicie já seus estudos.